sábado, 14 de maio de 2016

Aos Pés de Jade

Feche a janela, meu amor,
Pois o frio da minha alma já me basta
Não necessito de nada do mundo exterior
Que, por natureza, já me devasta

Só seus braços podem me aquecer
E seu sorriso me fazer levantar
Só seu colo pode me acalentar
E do meu tormento, fazer-me esquecer

Meu mundo não é pequeno,
Apenas não preciso de mais nada
Não é fácil sorver o veneno
Mas, com você, minha alma é blindada

Leve-me ao paraíso,
Nem que seja por um instante
Dádiva negada a mim pelo Juízo
Minha eterna sina sufocante

Em seus braços,
Não há pranto nem ranger de dentes,
Ou alma em estilhaços,
Pois os sonhos se fazem presentes

A seus pés, aqui estou,
Amada Jade
Enfrentando o calor ou a tempestade
Pois agora sei que anjos são de verdade

Você é a única verdade em meu mundo
A marca de Deus na Criação
O berço do meu sono profundo
E não à toa, minha inspiração

Nenhum comentário: